Benditas Palavras Bem Ditas: Imperdoável.

quinta-feira, fevereiro 24

Imperdoável.

Papo brabo.



iNeedChemicalX




Não adianta. Ela não "me desce". É assunto engasgado, trepida minha base e muito me irrita não descobrir o porquê de tanto nela pensar... Desde criança.


A morte dói. A morte dói para quem fica. É dor que comprime os pulmões e rouba-nos o ar. É de arriar e adormecer os membros. Impotentes, a gente só quer dormir... Para desaproveitadamente ver se passa.


Aperta-me o peito pensar no sofrimento de quem morre sentindo dor, lutando contra a toalha que vai caindo aos poucos. O corpo pede descanso, pede arrego e carregam o desconsolo os que ficam. Considero um privilégio, diria um luxo, morrer de repente. Assim, subitamente. Sem aviso prévio ou sofrimento. Sem angústia ou agonia. Talvez seja o medo da dor, talvez seja o medo da derrota: perder para o inevitável. Seja lá o que for, se pudesse escolher, a morte imprevista seria o meu alvo. Não, não estou contestando a vontade de Deus, fé, religião, ciência ou os entendedores do assunto (há mesmo quem entenda a morte?), qualquer blá blá blá é inaudível na hora H: ela perturba a todos. Machuca qualquer um. Alguns dilaceram-se. Outros conseguem lidar com a perda, ainda assim o desolamento é ferida certa. Não há alternativa, o inevitável chega para todos. Não me assombra o mistério, não me intriga saber para onde vou, minha pinimba com ela é a dor cheia de dentes, ávidos e vorazes, que nos mastiga por dentro quando perdemos quem amamos. Ah, isso é devastador. É imperdoável.


Fernand's




44 comentários:

Tempestade disse...

Pra mim dói todos os dias....

=(

Isis disse...

Eita que este post mexeu comigo.
Fui a padoca hj e descobrí que a dona do estabelecimento recém inaugurado logo em frente havia falecido.

Teria muito o que que dizer aquí sobre o que eu tenho pensado a respeito da morte, mas como eu já me sentí provocada duas vezes pelo assunto hj, vou transformá-lo em post.
Depois da aula vou escrever, então é provável que eu publique amanhã.
Beijos...

AABentes disse...

Desde que ela levou meu pai
nunca mais fui a mesma.

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Não sei se há quem entenda a morte.. mas o Saramago chegou perto.. o "Intermitências da Morte" é um dos livros mais interessantes e bonitos que já li. Vale a pena.

Beijos

C. disse...

Faz parte da vida...

Miry Fernandes disse...

Também não a entendo. É inevitável, sim. Mas não a suportamos. Não a aceitamos, essa é a verdade.
Dói só de pensar em perder alguém próximo, ou mesmo nós. Partir e aqui deixar pessoas sofrendo e com saudades, logo ela. A saudade, tão inevitável -em um caso desse- quanto a morte.

- Kiss.

Kivia Nascentes disse...

Olha, seu blog não peca em nada. Bons textos, o visual é maravilhoso, intimista do ponto certo. Adorei.

E sei, palavra por palavra, na pele, o que significam cada uma de suas frases. Ótimo texto.

Cristina disse...

Oi Fê!!!

Faço suas as minhas palavras!!!

Tolero tudo,aceito quase tudo,mas a morte não me desce,não me preocupo com a minha...assim como você o que atormenta e ver quem amo partir...sofro por antecedência, é uma tortura chinesa.

Bora fazer de conta que ela não existe...vou seguir o coelho!!!


Beijinhos Amiga

Sentimental ♥ disse...

ainda bem q a perda é só física....

Danny disse...

Putz, amei o post.
Fiquei pensando aqui, e mesmo que digamos que a morte ''é-algo-natural-e-chega-para-todos'', nós não estamos prontos para aceitar isto com naturalidade.
Perder dói...Nós não gostamos de perder.

bjoooooooooo

deia.s disse...

Adooro seu blog! *-*

CIELLO disse...

Compartilho cada uma de suas palavras.. Me deixa em pânico saber que podemos morrer com sofrimento... que venha mesmo de súbito, sem avisar e seja rápida...

Outro dia me contaram uma história sobre, e me revigorei de alguns sentimentos de perdas desta natureza...

Um bjaum e volte sempre... por aqui sempre estou!

Jão disse...

É complicado lidar com isso, penso que os que vão,tendem a melhor e estarem em lugares mais tranquilos. Cabe aos que fica seguir o caminho e guardar as boas lembranças e ensinamentos. Lembrando sempre da esperança de que estarão juntos algum dia.

Beijos moça,
Força sempre!

Suzana Martins disse...

Dói em todas as palavras...

Beijos

Juuh Nascimento disse...

Esse post mexeu comigo.
Nao sei lidar com a morte e acho que nunca aprenderei.
Nao me conformo em como perdemos alguém amado sem nem ao menos sermos avisados.

é uma dor bruta e sem tamanho.

Bjs minha querida!

Mercenário disse...

A morte: melhor ir com ela de maos dadas ao ver alguem querido indo em seu lugar.

obs: me sinto renovado pela noticia de sua visita. No fundo do meu ego estupido, sinto que a sua capacidade e seu talendo me rendem frutos de inspiração ainda indecifraveis e selvagens.

obrigado por isso

um beijo

Dave disse...

"Because you're unforgiven two..."

Lobo disse...

Também sou adepto das mortes rápidas e indolores. Não quero nem me imaginar morrendo sufocado ou afogado. É das maiores agonias que existem...

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

a vontade de deus quase sempre nos envergonha, um pouco de rebeldia smpre fez bem ao coração, ninguém merece ficar a morrer diante dos olhos dos crentes e oraçõe sem sentido

Natália Rocha disse...

A pior das dores...leva consigo um pedaço de nós...dor constante.
Ninguém nunca estará preparado.

Mundo Mundaca disse...

Todos vamos partir um dia..mas para nos confortar brincamos de ser eternos..pelo menos eu!
beijos,
yasmin

Fabio Machado disse...

E digo mais... mesmo pra quem já abriu a porta-do-lado-de-lá, colocou o pé esquerdo adiante, olhou ao redor e voltou (como eu), a saudade dos que se vão dói, dói como um zumbido no ouvido, que às vezes é amenizado pelo som ambiente, mas nunca cessa.
Por isso eu canto, por isso eu danço.

Bons ventos !
Fabio Machado.

P.S. Obrigado pelas palavras sobre o meu post. Ele foi inspirado no seu, é claro.

Lane SoL disse...

é imperdoável.
ando meio sem coragem pra esse tipo de papo. Confesso que sinto medo da morte, não minha, mas a morte dos outros. Saco. Todos podiam virar pólen.. ou rastro de cometa. Gosto não.

Perfeito esse teu canto.. volto, claro que volto.

http://contasverbais.blogspot.com
Algo diferente do Evas...

Maísa Loyen (Fernanda Barros) disse...

Muito bom!

Te seguindo!

Volte sempre ao Ovo.. Beeijo chará!

Jorge Pimenta disse...

quem diz que não dói, mente.

Ana SS disse...

A morte dói.
Amor te dói.

Capitu disse...

Lidar com a perda é algo extremamente dificil, por mais que acompanhamos a dor do outro, não conseguimos nos preparar para um fim.

Penso que é exigir demais...


bjs

Anônimo disse...

Em relação ao ato de morrer:

meu maior desejo é que quando eu morrer, ao menos esteja VIVO.


Edw Luna

Fernand's disse...

edw luna,
eu tbm. eu tbm!!!!!! kkkkkkkkkk




capitu,
tbm penso.

Fernand's disse...

ana,
lindo.





jorge,
pura verdade.

Fernand's disse...

maisa,
obrigada. seja bem vinda.




lane,
eu tbm não.
seja bem vinda.

Fernand's disse...

fabio,
não mesmo. agradeço ter servido de inspiração! rsrs




yasmin,
é por isso que o que fazemos aqui ecoa na eternidade.

Fernand's disse...

natália,
verdade.




ediney,
é covardia... é muita judiação.

Fernand's disse...

lobo,
putz, nem fala! =O




dave,
me????

Fernand's disse...

mercenário,
não sei como faço isso, mas te agradeço! =)




juuh,
do tipo que devasta!

Fernand's disse...

suzana,
ô! =(




jão,
eu sei que fica a lembrança, ams às vezes isso não é o suficiente.

Fernand's disse...

ciello e deia.s,
=) obrigada pela presença e carinho.






danny,
ainda mais quando amamos. isso é muito ruim.

Fernand's disse...

sentimental,
gostei!




cristina,
vai que esse coelho está realmente doidão!!! hahaha bjs, linda.

Fernand's disse...

kivia,
obrigada. seja bem vinda.





miry,
a saudade é automática. pelo isso nos resta.

Fernand's disse...

c.,
é, mas é ruim.





marcelo,
gostei da dica. obrigada.

Fernand's disse...

aabentes, lê,
imagino. sinto muito.





isis,
como ela nos choca, né?! depois quero ver esse seu texto.

Priscilla disse...

Querida!
Um bom final de semana pra ti!
Beijos meus

Thaís Alves disse...

É imperdoável sentir esta saudade dilacerante e a certeza que pelo resto da vida (ao menos desta) uma parte de você se foi. E fica a saudade dos abraços que você não deu, das conversas que você não teve, e de tudo que você não viveu e perdeu a chance de ter.
Beijos

Fernand's disse...

priscilla,
obrigada. tenha uma ótima semana.





thaís,
essa saudade mata.